Oráculo/A Bailarina do Fogo/Vida Tardia (Leo de Oliveira)

ORÁCULO Do futuro eu sentia visão do fim da dor.Foi muito aterradoro dia em que morri. Não havia caixãonem macas de hospital.A testemunha primordialera a minha Solidão. Depois, não havia sepulturacom a escrita “aqui jaz”.Muito menos a merecida paz. Apenas uma cadeira durano cômodo sujo, abandonadoe meu corpo infeliz… rejeitado. A BAILARINA DO FOGO Chama … Mais Oráculo/A Bailarina do Fogo/Vida Tardia (Leo de Oliveira)

Uma taça feita de um crânio humano (Lord Byron)

Não recues! De mim não foi-se o espírito…Em mim verás – pobre caveira fria –Único crânio que, ao invés dos vivos,Só derrama alegria. Vivi! amei! bebi qual tu: Na morteArrancaram da terra os ossos meus.Não me insultes! empina-me!… que a larvaTem beijos mais sombrios do que os teus. Mais vale guardar o sumo da parreiraDo … Mais Uma taça feita de um crânio humano (Lord Byron)

Versos Íntimos (Augusto dos Anjos)

Vês?! Ninguém assistiu ao formidávelEnterro de tua última quimera.Somente a Ingratidão – esta pantera –Foi tua companheira inseparável! Acostuma-te a lama que te espera!O Homem que, nesta terra miserável,Mora entre feras, sente inevitávelNecessidade de também ser fera Toma um fósforo, acende teu cigarro!O beijo, amigo, é a véspera do escarro.A mão que afaga é a … Mais Versos Íntimos (Augusto dos Anjos)