Resenha: Vision Eternel – For Farewell Of Nostalgia (EP, 2020)

FOR FAREWELL OF NOSTALGIA – VISION ETERNEL (Independente, 2020)

Tracklist:
01. Moment Of Rain
02. Moment Of Absence
03. Moment Of Sensibility
04. Moment Of Nolstalgia

Line-up:
Alexander Julien – guitarras

Texto: Bruno Rocha

Melogaze. Foi com este neologismo que o músico canadense Alexander Julien resolveu batizar a sonoridade de seu projeto musical, o Vision Eternel (sim, é “eternEl” mesmo, não “eternAl”. Il parle français!). Fundado em 2007 na cidade norte-americana de Edison e atualmente baseado na encantadora Montreal, o Vision Eternel se propõe a tocar uma música sentimental e viajante se utilizando de elementos do Shoegaze, do Space Rock, do Ambient e do Post Rock.

No dia 14 de setembro de 2020 o Vision Eternel disponibilizou o seu oitavo lançamento. Intitulado For Farewell Of Nostalgia, este EP de quatro faixas traz de forma pujante toda a carga emotiva e Alexander Julien transformando em músicas as belíssimas paisagens sonoras que ele consegue contemplar em sua mente criativa. Segundo o artista, o EP é conceitual e seu tema é uma narrativa sobre como o quão emocionalmente devastador se apaixonar pode ser e também sobre as consequências de uma desilusão amorosa.

“Às vezes, procurar uma doce afeição pode ser prejudicial; este conto de paixão, ausência ferida, intimidade, melancolia e nostalgia sem fim pretende fazer o ouvinte sentir cada pedacinho disso.”

Sim, é isso mesmo! Alexander Julien não quer sofrer sozinho; ele quer que nós soframos junto com ele! Então, embarquemos com ele nesta jornada através de sua mente com a ajuda de sua música. As quatro faixas que compõem For Farewell Of Nostalgia carregam mais proeminentemente as influências do Shoegaze e guitarras embebidas em mil efeitos, especialmente chorus e reverb, são praticamente os únicos tijolos que constroem a musicalidade do projeto. Aqui não há vocais, bateria ou teclados. Além disso, todas as faixas são instrumentais. Ou seja, a sonoridade do Vision Eternel não é realmente para qualquer um que queira ouvir. É necessário ser dotado de uma imensa sensibilidade musical, concentração e forte poder de introspecção, pois ouvir o Vision Eternel não é tão-somente apontar seus ouvidos para o som, mas sim se concentrar, se deixar hipnotizar e flutuar em uma paisagem musical etérea que não pertence a este mundo maculado no qual vivemos.

As quatro faixas se chamam, respectivamente, Moments Of Rain, Moments Of Absence, Moments Of Sensibility e Moments Of Nostalgia. As duas primeiras parecem andar juntas de mãos dadas, pois ambas criam uma atmosfera sombria e ao mesmo tempo iluminada, como se estivéssemos a divagar sobre a vida enquanto contemplamos do alto de um prédio as luzes noturnas de Montreal. Moments Of Sensibility com seus 11 minutos é a faixa mais longa do EP e também a de aparência mais triste e densa graças a sua progressão de acordes que torna o ambiente mais cinza e nublado em relação ao criado pelas suas duas antecessoras. Moments Of Nolstagia é por si só dividida em duas partes; ela começa sendo tocada no mesmo tom da faixa que a antecede, mais seu andamento mais calmo e a escolha por timbres mais limpos de guitarra acalmam o ambiente mais hostil visto em Moments Of Sensibility. O segundo e mais longo trecho traz a noite de volta com a mudança de tom e a maior força do reverb, encerrando os trabalhos como se estivéssemos recebendo um afago na mente após um período conturbado e sofrido.

For Farewell Of Nostalgia foi masterizado por Carl Saff e sua ótima arte de capa foi criada pelo artista Michael Koelsch, que conseguiu captar bem o lado noturno e introspectivo das composições. Alexander Julien revela que este álbum já estava todo composto em 2017, contudo, insatisfeito com as gravações, ele resolveu descartar as versões originais e reiniciou o trabalho de produção do zero em 2019. Quem sabe esse período de maturação do trabalho tenha servido para melhorar mais ainda o resultado e final e também feito Alexander corrigir e melhorar alguns aspectos musicais e de produção.

Apesar de ser um EP totalmente instrumental, For Farewell Of Nostalgia, como já foi comentando em algum lugar neste texto, é conceitual. Para suprir a falta de letras, Alexander Julien elaborou uma pequena história que explica o conceito do EP e nessa história descobrimos que cada um dos “momentos” do EP é dividido em outros “sub-momentos.” (clique aqui para ler a história que acompanha o EP). Se você gosta de música animada e que te faça se agitar e colocar os demônios para fora, talvez o Vision Eternel não seja uma pedida adequada. Agora, se você curte ouvir música instrumental e não se importa de se recolher dentro de seu casulo pessoal a fim de alcançar atmosferas inacessíveis ao homem através de uma música hipnótica, sensível e tocante, ouça logo este For Farewell Of Nostalgia e venha sofrer junto com Alexander Julien e seu “melogaze” as dores de sua sofrência.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s